22 de setembro de 2008

Scipio Sighele


Scipio Sighele (Brescia, 1868- Florença, 1913). Laureado em Jurisprudência em Roma no ano de 1890, juntamente com o não menos conhecido Enrico Ferri, Sighele chegou à notoriedade com a obra La folla delinquente (1891), logo traduzida para o francês. Foi quando deu início às suas reflexões sobre Psicologia Coletiva da qual é um dos pioneiros.
A propósito dos comentários aparecidos na postagem “Morada de Rossi”, sobre a rivalidade com Le Bon, a observação abaixo consta do Prefácio de La foule criminelle. Essai de psychologie collective. Paris. Félix Alcan, Éditeur, 1901, 300 pág., 2ª edição, traduzida do italiano por Paul Vigny. Bibliothèque de philosophie contemporaine.

"Meu reconhecimento é muito grande, não apenas em relação a todos aqueles que, como Gabriel Tarde e o lamentado Victor Cherbuliez, longa e lealmente discutiram minha teoria, mas também em relação àqueles que, como Gustave Le Bon, utilizaram minhas observações sobre a psicologia das multidões sem me citar. E não há ironia naquilo que escrevo. Penso que, quando se adotam nossas idéias sem nos citar, é o gênero de elogio menos suspeito que nos pode ser endereçado."
Sighele, essa figura simpática, foi um dos maiores autores que mais se dedicou à chamada Psicologia das Multidões, sem prejuízo de Gustav Le Bon, que nos deixou textos fascinantes em todos os aspectos.